Charlie Munger foi o grande responsável pelo investimento da Berkshire Hathaway na BYD — foi graças ao braço direito de Warren Buffett, que faleceu no fim do ano passado, que o conglomerado construiu uma participação significativa na fabricante de carros elétricos que tem tirado o sono da Tesla de Elon Musk. 

Mas parece que a tese de Buffett pode estar mudando: o megainvestidor vendeu mais 1,3 milhão de ações da BYD listadas em Hong Kong por US$ 39,8 milhões, de acordo com um documento enviado à Bolsa de Valores de Hong Kong. A venda reduziu a participação da Berkshire para 6,9%.

Em 2008, a Berkshire comprou pela primeira vez cerca de 225 milhões de ações da BYD e, na época, pagou cerca de US$ 230 milhões pelos papéis. 

A aposta de Buffett se mostrou extremamente lucrativa, uma vez que o mercado de veículos elétricos registrou um crescimento explosivo na China e em outras partes do mundo. 

Em 2022 e 2023, a Berkshire se desfez de metade de sua participação, depois que a BYD disparou quase 600%, para um nível recorde em abril de 2022.

BYD destrona a Tesla de Elon Musk

Fundada por Wang Chuanfu, a BYD começou a fabricar baterias para celulares na década de 1990. Em 2003, a empresa se tinha centrado no setor automotivo e agora se tornou a principal marca de automóveis na China.

O principal responsável pelo investimento da Berkshire na BYD foi Munger. O falecido vice-presidente da holding foi apresentado à BYD por seu amigo Li Lu, fundador da gestora de ativos Himalaya Capital. 

Em 2010, Buffett chegou a dizer que seu amigo e braço direito merecia “100% do crédito pela BYD”. 

No quarto trimestre do ano passado, a BYD destronou a Tesla como o maior fabricante mundial de veículos elétricos, vendendo mais carros movidos a bateria do que a rival norte-americana.

CONCORRÊNCIA PARA SHEIN? CHINESA TEMU DESEMBARCA NO BRASIL EM MEIO A POLÊMICA DE TAXAÇÃO

BYD em queda: é o fim da tese de Buffett?

O preço das ações da BYD caiu cerca de 30% desde o pico em junho de 2022. Em abril, a Tesla destronou a fabricante chinesa e recuperou o status de maior vendedora de veículos elétricos do mundo. 

Na reunião anual da Berkshire no mês passado, Buffett disse que não tinha desistido da BYD, mas destacou que a chinesa foi uma exceção gratificante para o seus negócios. 

“Charlie bateu duas vezes na mesa comigo e apenas disse, você sabe, ‘Compre, compre, compre'”, disse Buffett aos acionistas. “A BYD era uma delas e Costco era a outro… Ele estava certo sobre ambas as empresas.”

*Com informações da Reuters e da CNBC

Fonte: SeuDinheiro

Share.