O mercado de criptomoedas amanheceu no vermelho mais uma vez, com uma queda de quase 30% no volume negociado nas últimas 24h. O bitcoin (BTC) tenta sustentar o patamar de preços de US$ 65 mil nesta segunda-feira (17).

Os investidores internacionais reagem ao comunicado da semana passada do Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos Estados Unidos), além de analisar dados on-chain para tentar explicar a queda do dia. 

Na última quarta-feira (12), a autoridade monetária norte-americana manteve os juros na faixa entre 5,25% e 5,50%.

Acontece que o comunicado em tom mais agressivo (hawkish, no jargão do mercado) contra o aumento de preços sinalizou que o BC dos EUA deve manter as taxas mais elevadas por mais tempo do que os investidores gostariam.

Em linhas gerais, juros mais altos significam menos dinheiro circulante disponível para o mercado, o que tende a pressionar o desempenho de ativos de risco, como ações e criptomoedas.

Esse cenário fez o BTC recuar mais de 5% nos últimos sete dias, ficando mais próximo de um “nível crítico” que pode fazer as cotações da maior criptomoeda do mundo caírem ainda mais. Na visão de analistas do mercado, o próximo suporte de preços está na faixa dos US$ 63 mil. 

Além disso, dois eventos relevantes ocorrerão nesta semana, como explica Julio Andreoni, especialista em criptomoedas do Bitybank.

“Na quarta-feira, haverá um feriado nos EUA, o que pode reduzir o volume de negociações. Em contrapartida, na sexta-feira, ocorrerá o evento conhecido como “triple witching”, quando três tipos de contratos financeiros expiram simultaneamente: opções de ações, futuros de índices e opções de índices. Este evento costuma trazer volatilidade aos mercados, podendo também impactar os criptoativos”, explica.

Confira o desempenho das dez maiores criptomoedas do mundo hoje:

# Nome (Símbolo) Preço Variação 24h Variação 7d Variação YTD
1 Bitcoin (BTC) US$ 65.484,86 -1,64% -5,52% 54,88%
2 Ethereum (ETH) US$ 3.516,77 -1,34% -4,22% 54,12%
3 Tether (USDT) US$ 0,9991 -0,02% -0,04% -0,08%
4 BNB (BNB) US$ 598,27 -1,48% -6,98% 91,52%
5 Solana (SOL) US$ 142,85 -1,70% -9,64% 40,73%
6 USDC (USDC) US$ 0,9999 -0,01% -0,01% -0,02%
7 XRP (XRP) US$ 0,5044 2,35% 1,45% -17,99%
8 Dogecoin (DOGE) US$ 0,1339 -1,60% -7,12% 49,67%
9 Toncoin (TON) US$ 7,79 -2,67% 10,14% 237,01%
10 Cardano (ADA) US$ 0,4025 -3,23% -9,37% -32,26%
Fonte: Coin Market Cap
  • As melhores recomendações do analista Matheus Spiess na palma da sua mão: newsletter especial revela uma recomendação por dia; acesse aqui 

Dados on-chain do bitcoin (BTC): fique de olho

O resultado de um comunicado mais forte do Fed sobre os juros foi a saída de US$ 600 milhões de investimentos em ativos digitais, de acordo com a Coin Shares. 

Esse foi o maior montante negativo desde março deste ano, quando o cenário era mais ou menos o mesmo: um comunicado mais duro do Fomc, o Copom norte-americano, e a volta dos investidores para ativos de renda fixa e menor risco. 

Além disso, segundo um artigo publicado na Crypto Quant, houve um aumento nas transferências de bitcoin para as corretoras de criptomoedas (exchanges), de acordo com dados compilados até domingo. 

Vale lembrar que o fluxo de ativos para corretoras costuma ser o prenúncio de vendas massivas, o que tende a derrubar os preços.

Os analistas ainda não destacam que o movimento possa ser de uma realização de lucros, tendo em vista que cerca de 40% dos BTCs transferidos estavam dormentes (parados) há cerca de 6 a 12 meses. 

Nesse intervalo, o preço do BTC supera os dois dígitos de valorização.

Mas vale ressaltar também que o mercado de criptomoedas é altamente volátil e que o investimento nesse tipo de ativo é bastante arriscado. Os analistas recomendam cautela antes de colocar dinheiro em qualquer investimento do tipo.

Fonte: SeuDinheiro

Share.