O Brasil caiu dois postos e passou a ocupar a 62ª posição em um ranking de competitividade global abrangendo 65 países, elaborado pelo International Institute for Management Development (IMD). A edição do World Competitiveness Ranking (WCR) de 2024 colocou Cingapura na primeira posição, seguida por Suíça e Dinamarca.

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

O Brasil vem caindo na avaliação do ranking, passando do 56º posto em 2020 para o 57º lugar no ano seguinte, para 59ª posição em 2022 e para a 60ª no ano passado. Pelo ranking, em 2024, o país só ficou à frente de Peru, Nigéria, Gana, Argentina e Venezuela.

Continua depois da publicidade

Pelos critérios de avaliação do ranking, a única evolução foi observada no Desempenho Econômico, com o Brasil passando do 41º posto no ano passado para o 38º lugar. O pior desempenho do país ficou em Eficiência Governamental (65ª posição). Nos demais critérios, a Eficiência Empresarial ficou em 61º lugar e a Infraestrutura ficou em 58º.

Para a Fundação Dom Cabral, que é parceira no estudo, entre os desafios do Brasil para melhorar sua posição estão: melhorar substancialmente o acesso da população à educação básica de qualidade; requalificar profissionais para mudanças tecnológicas dinâmicas; melhorar a infraestrutura e a logística para aumentar a resiliência e o crescimento econômico; ampliar a igualdade e a inclusão; e melhorar a capacidade das organizações em desenvolver inovações de ponta.

Segundo Arturo Bris, diretor do Centro Mundial de Competitividade do IMD, que produz o ranking anual, as economias com melhor desempenho equilibram produtividade e prosperidade, “o que significa que podem gerar níveis elevados de renda e qualidade de vida para seus cidadãos, preservando o meio ambiente e a coesão social”.

Continua depois da publicidade

Bris comentou ainda que a relação serve como referência para que esses países meçam seu progresso e identifiquem áreas de melhoria, oferecendo um caminho claro para seu desenvolvimento econômico, mas também apoiando metas globais, como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Entre os demais países que mudaram de posto no WCR, foram destacados a Irlanda, que caiu para quarto lugar, enquanto Hong Kong melhorou duas posições para assumir o quinto posto e a Suécia avançou o mesmo número de posições, ficando em sexto.

Além disso, os Emirados Árabes Unidos subiram três posições para ficar em sétimo, enquanto Taiwan caiu duas posições, para oitavo. A Holanda caiu para nono, e a Noruega subiu para décimo.

Fonte: InfoMoney

Share.