O PMI composto, um indicador que consolida indústria e serviços, teve ligeiro avanço, para 54,1 em junho; foram apontados custos maiores de energia, alimentos, combustíveis, seguros, mão de obra e água em relação a maio

A atividade do setor de serviços no Brasil continuou no campo da expansão em junho, embora os dados tenham ficado abaixo dos observados em maio. Segundo a S&P Global, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor recuou de 55,3 para 54,8 em um mês.

O PMI composto, um indicador que consolida indústria e serviços teve ligeiro avanço, de 54,0% em maio para 54,1 em junho. Segundo a pesquisa, o ritmo de expansão de novos pedidos diminuiu para o nível mais baixo em cinco meses, tanto no setor industrial como no de serviços

Baixe uma lista de  10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

A S&P Global comentou que as empresas de serviços observaram um novo aumento nas vendas na primeira metade de 2024, o que estendeu a sequência atual de expansão para nove meses. Apesar de inferior à de maio, a taxa de crescimento foi acentuada e ficou acima da sua média de longo prazo.

Em meio a relatos de fragilidade cambial, perdas de safras e consequências das enchentes no Rio Grande do Sul, os preços de insumos subiram ainda mais em junho, conforme a pesquisa.

Foram apontados custos maiores de energia, alimentos, combustíveis, seguros, mão de obra e água em relação a maio. A taxa geral de inflação foi acentuada, a mais acelerada em oito meses e ficou acima da sua média de longo prazo.

Continua depois da publicidade

Para Pollyanna De Lima, diretora associada econômica da S&P Global Market Intelligence, o aumento acelerado nos custos de insumos observado nos dados do PMI do setor de serviços poderia apresentar desafios à economia brasileira e aumentar as preocupações entre os formuladores de políticas.

Isso particularmente depois do Banco Central ter interrompido o ciclo de flexibilização e mantido a taxa básica de juros inalterada em 10,5% em junho na última reunião do Copom.

Fonte: InfoMoney

Share.