Publicado às 22h21

 

A Vale (VALE3) informou que tomou conhecimento nesta sexta-feira, 3, de que a União Federal e o governo do estado do Espírito Santo teriam comunicado ao desembargador responsável pela condução do processo sigiloso de mediação do Acordo de Mariana (MG), instalada no âmbito do Tribunal Regional Federal da 6ª Região (TRF6), sua rejeição aos termos da proposta de acordo apresentada por Samarco, Vale e BHP. 

A Vale reiterou que as tratativas sobre o tema continuam e são conduzidas exclusivamente no âmbito da Mediação, em conformidade com a Lei 13.149/2015 (Marco Legal da Mediação), o Código de Processo Civil de 2015 e Resolução no. 125/2010 do Conselho Nacional de Justiça. 

“A Vale, como uma das acionistas da Samarco, reafirma seu compromisso com as ações de reparação e compensação relacionadas ao rompimento da barragem de Fundão, da Samarco, em 2015, e segue engajada para o avanço das negociações em curso com os Governos Federal e Estaduais e outras entidades públicas envolvidas na Mediação”, destacou a mineradora. 

A Vale ressaltou que, junto com a Samarco, a BHP e autoridades públicas, continuará buscando estabelecer um acordo que “garanta a reparação justa e integral às pessoas atingidas e ao meio ambiente”.

 

 

Share.