Quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva demitiu Jean Paul Prates do comando da Petrobras (PETR4), o investidor ficou de orelha em pé — o temor de interferência política voltava a assombrar a estatal que tinha acabado de sair do imbróglio da distribuição de dividendos extraordinários aos acionistas. Desde então, as declarações do petista sobre a petroleira voltaram aos holofotes do mercado. 

Nesta quarta-feira (19), Lula voltou a falar da Petrobras — dois dias depois de a estatal fechar um acordo com a Receita Federal para encerrar uma pendência tributária de quase R$ 20 bilhões

Dessa vez, o petista tinha um motivo: a cerimônia de posse da nova presidente da estatal, Magda Chambriard. O evento aconteceu no Rio de Janeiro. 

A Petrobras vai pagar imposto sim

No momento em que a equipe econômica trabalha para recompor a base fiscal e aumentar a arrecadação, Lula fez questão de dizer que a Petrobras é uma das fontes de receitas para o governo.

“Quanto mais Petrobras for lucrativa, mais imposto vai pagar e mais [ministro Fernando Haddad] vai ficar feliz”, disse. “Ninguém quer que a Petrobras perca dinheiro, quero que seja uma empresa lucrativa”, acrescentou.

A declaração acontece depois que a estatal  fechou um acordo de R$ 19,8 bilhões com a Receita Federal para encerrar pendências com o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). O Seu Dinheiro contou tudo sobre o caso. 

MAGDA CHAMBRIARD TEM ‘CRIATIVIDADE’ PARA SECAR CAIXA DA PETROBRAS (PETR4)?

Os investimentos: a menina dos olhos de Lula

Lula avaliou que a descarbonização da economia não será motivo para a perda de relevância da Petrobras, que na avaliação dele é uma “empresa de energia”. 

O portfólio de investimentos da estatal tem focado também em fontes renováveis, uma defesa da gestão do atual governo.

“Os que quiseram destruir a Petrobras jamais conseguiram”, afirmou Lula, que também falou do papel da empresa na cadeia de produção de combustíveis e em setores como fertilizantes.

“Interromper investimento em gás natural e fertilizantes foi um dos grandes retrocessos do País. A Petrobras pode ajudar o País a enfrentar a guerra entre Rússia e Ucrânia”, acrescentou. 

Para Lula, a nova gestão da Petrobras não tem “medo de desafios”, em referência ao plano estratégico de investimentos da empresa. O plano referente ao período de 2024 a 2028 tem previsão de investimentos na casa de US$ 102 bilhões.

No discurso de posse de Chambriard, Lula depositou parte do êxito do Brasil à Petrobras, afirmando que se a empresa der certo, o País também dará certo.

“Tem uma certeza na minha cabeça: se a Petrobras der certo, o Brasil dá certo; se a Petrobras der errado, significa que o Brasil também vai dar errado”, disse Lula. “Eu torço, luto e morro para que o Brasil dê certo.”

No discurso, o petista elogiou a nova presidente da estatal. Segundo ele, Chambriard tem a competência e todas as credenciais para tocar os desafios da companhia. 

Quando chegou sua vez de falar, Chambriard afirmou que o Lula lhe deu a missão de movimentar a Petrobras porque a empresa é capaz de movimentar o Produto Interno Bruto (PIB). 

“A missão dada pelo presidente foi a de movimentar a Petrobras, porque ela impulsiona o PIB do País. Ele me pediu para gerir a Petrobras com respeito à sociedade brasileira”, disse.

“Ele me disse que tem grande carinho pela Petrobras, que a sociedade brasileira ama a Petrobras, e que não quer confusão nessa empresa”, acrescentou.

Chambriard disse que a sensação é de “volta para casa”, uma vez que atuou por mais de 20 anos na empresa. 

“O que vamos fazer está registrado no Plano Estratégico, e tem potencial para gerar centenas de milhares de empregos diretos e indiretos, além de recursos em tributos e participações especiais à União Federal”, afirmou.

Fonte: SeuDinheiro

Share.