Enquanto a inteligência artificial conquista cada vez mais os holofotes na corrida do setor financeiro por inovações tecnológicas, o Nubank (ROXO34) decidiu ir às compras no Vale do Silício para não ficar para trás.

O banco digital anunciou nesta quarta-feira (26) a aquisição da empresa de inteligência de dados Hyperplane. O valor da transação não foi informado. 

De acordo com a fintech, o negócio ajudará na oferta de produtos e serviços financeiros personalizados para os clientes do banco.

“Há investimentos fundamentais que uma plataforma financeira precisa fazer para rodar com IA. O Nubank é o lugar perfeito para acelerar nossa visão de sistema bancário de consumo hiperpersonalizado devido à maturidade da sua infraestrutura de dados e a sua cultura de inovação”, disse Felipe Lamounier, cofundador da Hyperplane.

Segundo o fundador e CEO do Nubank, David Vélez, a missão do banco digital é “combater complexidades e empoderar clientes para que nos amem fanaticamente”. 

“Nossos primeiros investimentos em IA, somados à impressionante infraestrutura e à talentosa equipe que a Hyperplane montou, vão acelerar nossa missão”, disse Vélez, em nota à imprensa.

Quem é a empresa que o Nubank (ROXO34) abocanhou

Ainda que a empresa de inteligência de dados que o Nubank decidiu colocar na sacola seja jovem — com pouco mais de dois anos de existência —, a transação deve permitir um impulso nas iniciativas do banco do cartão roxo em IA.

Para o Nubank, a infraestrutura existente e o caminho de integração entre a fintech e a Hyperplane significam que o banco poderá aproveitar “imediatamente” as capacidades avançadas de inteligência artificial da empresa.

Fundada em 2022 por Daniel Silva, Felipe Lamounier, Rohan Ramanath e Felipe Meneses, a Hyperplane tem contribuído para o uso de modelos com base de dados proprietários para “fornecer serviços financeiros de alta qualidade” em larga escala.

Leia também:

A empresa desenvolveu sistemas de inteligência artificial para processar e examinar grandes volumes de dados não estruturados, como interações com clientes e informações sobre transações.

Isso permite que instituições como o próprio Nubank compreendam melhor as necessidades e preferências individuais dos clientes.

De acordo com o Nu, a plataforma permite que instituições financeiras treinem, avaliem e implementem modelos de “deep learning” (aprendizagem profunda) com dados proprietários para tomada de decisões. 

A ideia é que a aquisição ainda dê suporte para a equipe do Nubank de especialistas em IA, permitindo a criação de conexões entre contextos amplos, além de gerar insights e embasar a tomada de decisões.

“A tecnologia de IA da Hyperplane se integrará perfeitamente aos nossos sistemas, aprimorando nossa capacidade de analisar vastos conjuntos de dados e personalizar nossos serviços em um nível granular. É um marco significativo em nossa jornada rumo a um ecossistema bancário mais inteligente e centrado em IA”, afirmou Vitor Olivier, chefe de tecnologia (CTO) do Nubank.

Além disso, a companhia deve aumentar o potencial do Nubank em machine learning (aprendizagem de máquina), com a construção de modelos para as equipes de produto e engenharia.

Fonte: SeuDinheiro

Share.