A visita de Elon Musk à China pode ter sido rápida, mas rendeu frutos que se refletem na reação das ações da Tesla na manhã desta segunda-feira (29). Os papéis TSLA avançam quase 10% no pré-mercado em Nova York após os anúncios do encontro do bilionário com autoridades chinesas. 

Isso porque a montadora norte-americana firmou uma parceria com a gigante chinesa de tecnologia Baidu — cujas ações também sobem mais de 5% em Nova York.

Assim, a empresa chinesa dará suporte para funções de mapeamento e navegação para o sistema Full-Self Driving, ou FSD, possibilitando os chamados “carros autônomos” no país. 

A Tesla havia lançado o FSD, versão mais autônoma do seu software Autopilot, há quatro anos, mas sem versão disponível para os clientes da China. 

O país é o segundo maior mercado da Tesla, que vem enfrentando a concorrência acirrada no setor de carros elétricos de grandes empresas do setor, como a BYD.

Além disso, Tesla também passou por um requisito importante de segurança e privacidade de dados, o que ajudaria a aliviar algumas das preocupações sobre o lançamento do FSD no mercado chinês.

  • Você pode comprar carros com desconto de até 50% na Tabela FIPE, graças à técnica desenvolvida por este ex-perito criminal. Veja mais detalhes aqui.

Visita relâmpago de Elon Musk à China

Musk se reuniu no domingo com o premiê Li Qiang, secretário do Partido Comunista Chinês para Xangai. Seu jato particular deixou Pequim nesta segunda-feira.

Embora a Tesla inicialmente tenha recebido boas-vindas na China, o bom momento da empresa vem se convertendo em pressão nos últimos tempos com o aumento da concorrência. 

A participação da Tesla no mercado automobilístico da China encolheu de 10,5% no primeiro trimestre de 2023 para cerca de 6,7% no quarto trimestre do ano passado.

*Com informações do Yahoo Finance

Fonte: SeuDinheiro

Share.