Um banco, dois CEOs. O Inter (INBR32) anunciou nesta quarta-feira (10) que João Menin deixará de acumular cargos — ele seguirá como o chefe global do banco digital e Alexandre Riccio, até então vice-presidente sênior de retail banking, comandará as operações no Brasil. 

“Tenho confiança de que o Inter Brasil continuará tendo um forte desempenho sob a liderança [de Riccio], enquanto ele continua focado em impulsionar nosso crescimento, rentabilidade, engajamento dos clientes e diversificação de receitas”, disse Menin. 

A confiança depositada em Riccio tem histórico de mais de uma década no banco. O executivo está há 11 anos no Inter, tendo liderado todas as principais áreas do banco. Embora seu cargo mais recente tenha sido de vice-presidente sênior, à frente do banco de varejo, ele já havia liderado as áreas de tecnologia, operações, finanças e crédito

Mas Menin e Riccio se conhecem de muito antes: eles cursaram juntos a faculdade de engenharia civil na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 

Riccio também atuou como diretor executivo da Febraban por quase 3 anos. Antes de ingressar no Inter, foi consultor no The Boston Consulting Group e passou 5 anos liderando uma operação da Gerdau nos Estados Unidos. 

  • E-BOOK LIBERADO: o Seu Dinheiro consultou especialistas do mercado financeiro para descobrir onde estão as melhores oportunidades de investimento para o 2º semestre de 2024; baixe aqui

Inter no Brasil: sob nova direção

Riccio não vai abandonar o banco de varejo ao se tornar CEO do Inter no Brasil — ele acumulará funções, assumindo também o atacado. 

Já Menin segue à frente da inovação do banco digital, além de continuar trabalhando com a expansão global da companhia. 

“Sempre fui entusiasmado pelo desenvolvimento da nossa plataforma digital integrada para aprimorar a vida financeira de nossos clientes e estou ansioso para continuar fazendo isso nesse novo cargo”, afirmou Riccio. 

O desafio do novo CEO no Brasil

O Inter tem hoje uma carteira de crédito de R$ 35 bilhões — 30% em crédito imobiliário, 20% em consignado, 20% em pequenas e médias empresas. O restante está concentrado em cartão de crédito e produtos não-colaterizados.

O desafio de Riccio é ajudar o banco digital a entregar o guidance para 2027 — uma visão estratégica que o banco batizou de 60/30/30: 60 milhões de clientes, ROE (retorno sobre o patrimônio) de 30%  e índice de eficiência de 30%. 

“Estou muito orgulhoso de assumir a responsabilidade de liderar nossas operações no Brasil e agradeço ao João pelo seu apoio, confiança e visão que nos permite entregar nossa estratégia de longo prazo centrada no modelo digital único que criamos com nosso Super App Financeiro”, disse Riccio.

Fonte: SeuDinheiro

Share.