O Reino Unido sempre foi considerado um lugar privilegiado para os super-ricos do mundo, mas parece que as coisas na terra do Rei não são mais como eram antes e um recorde de milionários deve deixar a região este ano. 

Entre a década de 1950 e o início da década de 2000, grupos de famílias milionárias saíram de toda a Europa continental, África, Ásia e Médio Oriente rumo ao Reino Unido.

Mas uma pesquisa da Henley, uma empresa de consultoria que acompanha as tendências migratórias, indica que o Reino Unido sofrerá uma perda líquida de 9.500 indivíduos de altíssima renda em 2024 — mais do dobro do número do ano passado de 4.200, que por si só foi um número recorde.

“Notavelmente, durante o período de seis anos de 2017 a 2023 pós-Brexit, o Reino Unido perdeu um total de 16.500 bilionários devido à imigração. As estimativas provisórias para 2024 são ainda mais preocupantes”, diz a pesquisa.

  • VOCÊ JÁ DOLARIZOU SEU PATRIMÔNIO? A Empiricus Research está liberando uma carteira gratuita com 10 ações americanas pra comprar agora. Clique aqui e acesse.

Por que os milionários estão indo embora

O motivo da aceleração da saída dos milionários do Reino Unido neste ano tem motivo: as eleições gerais

Pesquisas recentes dão ao Partido Trabalhista, de centro-esquerda, uma vantagem impressionante sobre o rival, o Partido Conservador, de direita que está há mais de uma década no poder. 

O Partido Trabalhista se posicionou como pró-negócios com foco na criação de riqueza. No entanto, o manifesto eleitoral também é claro ao afirmar que planeja preencher lacunas que beneficiam os ricos, a fim de financiar melhor os serviços públicos. 

Essas lacunas são fechadas especialmente para os chamados indivíduos não domiciliados, para reduzir a evasão fiscal, eliminar incentivos fiscais para escolas independentes e aumentar os impostos sobre as compras de propriedades residenciais por pessoas não pertencentes ao Reino Unido.

O Reino Unido já não era esse paraíso todo

O número de milionários no Reino Unido caiu 8% na última década, segundo Henley, em contraste com a maioria das outras grandes economias da Europa e de outros países. 

O número de indivíduos com elevado património líquido na Alemanha, por exemplo, aumentou 15% durante o período, enquanto o número nos EUA aumentou 62%.

“A saída de indivíduos com alta renda provocada pelo contexto econômico e político está agora sendo acelerada por decisões políticas antes das eleições”, diz a Henley em relatório.

A empresa responsável pelo levantamento lembra ainda que, além do tributo de 40% sobre propriedades acima do limite de 325.000 libras (R$ 2,23 milhões), o governo conservador adotou o impulso da política da oposição trabalhista de acabar com o regime tributário não-domiciliar do Reino Unido a partir de 2025. 

“E para aqueles educando os filhos no conceituado setor escolar privado do Reino Unido, o compromisso do Partido Trabalhista de remover a isenção de 20% de IVA de que beneficiam as escolas privadas será mais um evento indesejável”, acrescenta. 

*Com informações da CNBC

Fonte: SeuDinheiro

Share.