O Carrefour (CRFB3), dono das marcas Atacadão, Sam’s Club e bandeira de mesmo nome, teve um lucro líquido de R$ 39 milhões no primeiro trimestre de 2024, revertendo o prejuízo de R$ 113 milhões do mesmo período do ano passado.

A melhora, em parte, acompanha o avanço das vendas brutas e da receita totais, que subiram, respectivamente, 2,5% e 2,2%, para R$ 27,7 bilhões e R$ 26,3 bilhões.

O Atacadão, principal negócio do grupo, teve suas vendas ficando em R$ 19,3 bilhões, com ajuda do aumento das vendas mesmas lojas, de 1,8% no ano, e da expansão da marca, com 20 novas unidades abertas nos últimos 12 meses.

Continua depois da publicidade

“Nossas vendas no trimestre refletiram uma melhora na dinâmica de volume, especialmente do cliente B2B [venda para outros negócios, na sigla em inglês] cujo volume se recuperou diante de um ambiente inflacionário mais normal. O tráfego B2C [venda para o consumidor final] nas nossas lojas também aumentou, beneficiando da adição de serviços focados nesse cliente”, diz o Carrefour.

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita 

O lucro bruto também avançou no Atacadão, chegando a R$ 2,7 bilhões, alta de 9,9% no ano, sendo que a margem bruta subiu 0,6 ponto percentual, para 16%.

Continua depois da publicidade

Apesar da alta de 2,1% das despesas com vendas, gerais e administrativas (SG&A), o Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) do Atacadão, com isso, subiu 23,3%, para R$ 1,1 bilhão.

O Sam’s Club também registrou uma alta de 52,4% do seu Ebitda, que chegou a R$ 79 milhões, “com esforços para atrair novos clientes”. A bandeira Carrefour, porém, registrou um recuo de 5,1% do número, para R$ 136 milhões, sofrendo pela conversão de unidades.

Outro destaque do primeiro trimestre foi Banco Carrefour, que teve um lucro líquido de R$ 112 milhões, ante R$ 3 milhões um ano antes. Ao mesmo tempo em que o faturamento cresceu, bem como a carteira de crédito, na base anual, a companhia enxerga sua inadimplência recuar desde o segundo trimestre de 2022, quando adotou uma política de crédito mais rigorosa.

Continua depois da publicidade

O Carrefour ainda registrou um resultado financeiro negativo de R$ 700 milhões, ante prejuízo de R$ 756 milhões no primeiro trimestre de 2023. “Principalmente devido à
diminuição da alavancagem financeira líquida e ao impacto da reversão de provisões”, explicam.

A varejista fechou março com uma dívida líquida de R$ 13,5 bilhões, menor do que os R$ 15,6 bilhões do mesmo mês de 2023. A alavancagem (medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda) recuou de 2,44 para 2,24.

Fonte: InfoMoney

Share.